TERRA, matéria-prima intemporal

O uso da terra e do fogo para a produção de objetos utilitários e lúdicos foi fundamental no quotidiano cabo-verdiano e tem-se constituído ao longo do tempo referência cultural, simbólica e identitária. A água e o lume, o transportar – o conservar - lavar – cozinhar – comer. Um património de objetos que representam um campo exploratório de infinitas possibilidades para o repensar, recriar e redesenhar.

A TERRA foi o material eleito neste projecto, quer pela disponibilidade local, sustentabilidade económica e ambiental, pelo valor táctil e plástico, quer pelo domínio das técnicas do saber fazer.

A TÉCNICA de produção foi a modelação e queima tradicional. Esta opção justificou-se pela riqueza patrimonial e simbólica que carrega (a mão como ferramenta / a organicidade da forma), por outro lado, por se integrar num percurso que tenho vindo a desenvolver de experimentação entre a sua aplicação atual e a exploração de linguagens contemporâneas.

 

A TAÇA enquanto conceito, é pela sua forma_ a concha das mãos, o útero, pela sua natureza de conter, de acondicionar, de guardar, de acolher, será a mais contemporânea e versátil das peças de uso doméstico tradicionais. A TAÇA é intemporal.

A FUNÇÃO e os usos foram um dos eixos da concepção deste novo objeto. A forma da taça é tratada como ponto de partida para o criar de objeto composto, que se quer versátil e que acumula a função de conter, mas também a de cobrir, escorrer, cozinhar a vapor, entre outras que o utilizador possa recriar.  

A peça PASSA AGU é um conjunto de 3 elementos que se complementam como parte de um todo, que podem ser utilizados de modo individual.  Uma taça com pés/pegas, uma taça com pés furada, um prato raso, os quais podem ser coordenados entre si de diversos modos. 

Depois de participar num concurso promovido pelo CNAD e após selecção, este trabalho foi escolhido para execução do protótipo que podemos ver em exposição na recente mostra de artesanato contemporâneo, realizada na ilha do Sal em Cabo Verde no corrente Mês de Julho.

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados